Confira a programação da Mostra AF de Cinema 2018

Ministério da Cultura e Aliança Francesa apresentam:

MOSTRA AF DE CINEMA 2018

Você provavelmente já cruzou com diretores franceses, mesmo que não saiba: se não com os intelectualíssimos Alain Resnais (“A Regra do jogo”), Jean-Luc Godard (“Acossado”) e François Truffaut (“Os Incompreendidos”), então com o estiloso Luc Besson (“O Quinto Elemento”), ou com o sonhador Michel Gondry (“Espuma dos Dias”). Mas existe muito mais de onde esses vieram, um universo quase infinito de diretores clássicos e atuais, que possuem uma produção abrangente e de sucesso em todos os gêneros . É nesse universo que a Aliança Francesa de Florianópolis propõe uma imersão entre os dias 3 e 12 de setembro no cinema do CIC (aberto ao público) e IFSC Florianópolis (exclusivo para alunos e professores). Serão 10 filmes com entrada gratuita.

Entre os destaques estão o atual, realista e interessantíssimo Petit Paysan (O pequeno Fazendeiro), de Huber Charuel, vencedor do César de Melhor Primeiro Filme em 2017, que terá sua primeira exibição em Santa Catarina, o elogiadíssimo Wùlu, “gangster africano” dirigido pelo diretor estreante franco-malinês Daoda Coulibaly, e os clássicos Le Mépris (O Desprezo) de Jean-Luc Godard e Le Salaire de la Peur (O Salário do Medo), de Henri-Georges Clouzot.

Completam a lista a animação e crítica social baseada em HQ, Aya de Yopougon (Aya), de Marguerite Abouet e Clément Oubrerie, o documentário Swagger, a biografia musical Barbara, a comédia Ciumenta, de David Foenkinos, além dos dramas Une Vie Violente (Uma vida violenta) e A peine j’ouvre les yeux (Assim que abro meus olhos).

Além das sessões no cinema do CIC e no IFSC, a mostra também promove 10 sessões de cine debate mediado pelo realizador e curador audiovisual Pedro MC, com o documentário Swagger, em escolas de Florianópolis.

 

Lei de Incentivo à cultura

Patrocínio: ENGIE Brasil Energia

Apoio: Institut Français, Cinemateca da Embaixada da França no Brasil, Cinema do CIC MIS-SC

Coordenação: Marte Inovação Cultural

Realização: Cineclube Ó-Lhó-Lhó do Instituto Federal de Educação de Santa Catarina – Campus Florianópolis, Cineclube Cinema Unisul Audiovisual Unisul,  Aliança Francesa de Florianópolis, Ministério da Cultura e Governo Federal


PROGRAMAÇÃO NO CINEMA DO CIC

ENTRADA GRATUITA – SUJEITO À LOTAÇÃO DA SALA

 

 

Resultado de imagem para ASSIM QUE ABRO MEUS OLHOS

3 de setembro – segunda-feira – 20h

ASSIM QUE ABRO MEUS OLHOS

A peine j’ouvre les yeux (Bélgica, França, Tunísia 2015).

De Leyla Bouzid. Com Aymen Omani, Baya Medhaffar, Ghalia Benali. Drama em /106’. Classificação etária 16. Legendado.

Verão de 2010 em Túnis, na Tunísia, alguns meses antes da Revolução de Jasmim. Enquanto o regime de Ben Ali cai, Farah (Baya Medhaffer), uma garota de 18 anos, se junta a uma banda de rock politizada e descobre o álcool, o amor e os protestos. Indo contra a vontade da mãe, Hayet (Ghalia Benali), que conhece os tabus do país, Farah mergulha cada vez mais nesse mundo, sem suspeitar do perigo de um regime político que a observa e se infiltra na sua privacidade. Para proteger a filha, Hayet fará o que for preciso, inclusive, reviver as feridas da sua própria juventude.

 

Swagger (2016)4 de setembro – terça-feira – 20h

SWAGGER

(França 2016).

De Olivier Babinet. Documentário em /84’.

Classificação etária 10 anos. Legendado.

Um documentário “teen-filme” que nos transporta para dentro das mentes surpreendentes de onze adolescentes que crescem em um dos bairros mais desfavorecidos da França. Apesar das suas dificuldades na vida, as crianças de Sevran e Aulnay têm sonhos e ambições. De Olivier Babinet. Com Aïssatou Dia, Mariyama Diallo e Abou Fofana.

 

Resultado de imagem para barbara film6 de setembro – quinta-feira – 20h

BARBARA

Barbara (França 2017).

De Mathieu Amalric. Com Jeanne Balibar, Mathieu Amalric, Vincent Peirani. Drama em cores/97’. Classificação etária Livre .Legendado.

Uma atriz, Brigitte, irá interpretar num filme a icônica cantora Barbara. Brigitte trabalha a personagem de Barbara: a sua voz, as músicas e as canções, a imitação dos gestos, as falas. As coisas prosseguem. A personagem vai crescendo dentro dela. Começa mesmo a invadi-la. Yves, o realizador, também vai trabalhando – através de encontros, imagens de arquivo e a música. Parece inspirado por ela… Mas por quem? Pela atriz ou por Barbara?

 

Resultado de imagem para le mepris godard cartaz

7 de setembro – sexta-feira – 20h

O DESPREZO

Le Mépris (França 1963).

De Jean-Luc Godard. Com Brigitte Bardot, Michel Piccoli. Drama em cores/100’. Classificação etária 16 anos. Legendado.

Paul Javal, roteirista, aceita dar nova versão à adaptação de “A Odisséia”, que Fritz Lang está rodando em Roma, sob a produção de Jérôme Prokosch. Apaixonado por Camille, sua mulher, Paul fica enciumado quando ela aceita uma carona de Prokosch. Durante uma longa cena doméstica, Camille fala de seu desprezo pelo marido. O rompimento acontece em Capri, onde são realizadas as cenas externas e mais importantes do filme. Camille vai embora com Prokosch e ambos morrem num acidente de carro.

 

Petit Paysan : Poster8 de setembro – sábado – 20h

O PEQUENO FAZENDEIRO

Petit Paysan (França 2017).

De Hubert Charuel. Com Bouli Lanners, Sara Giraudeau, Swann Arlaud. Drama policial em /90’. Classificação etária: 12 anos. Legendado.

A vida de Pierre (Swann Arlaud) gira em torno de sua fazenda. Produtor de leite e acostumado a viver cercado pela natureza, o jovem vê sua vida mudar completamente quando uma epidemia assola a França, deixando seus animais infectados. Agora ele precisa enfrentar todos os obstáculos para manter seus animais vivos.

 

Resultado de imagem para Jalouse (Fran̤a 2017).9 de setembro Рdomingo Р18h

CIUMENTA

Jalouse (França 2017).

De David Foenkinos. Com Anne Dorval, Dara Tombroff, Karin Viard. Comédia em cores/97’. Classificação etária Livre. Legendado.

Nada acontece na vida de Nathalie Pêcheux (Karine Viard), uma professora de letras divorciada. Até que ela começa a sentir ciúmes de todos a sua volta. Desde a sua filha de 18 anos, Mathilde (Dara Tombroff), uma dançarina clássica com futuro promissor, até seus vizinhos e também Mélanie (Anaïs Demoustier), sua nova colega de trabalho.

 

9 de setembro – domingo – 20h

WÙLU

(França, Senegal 2016).

De Daoda Coulibaly. Com Ibrahim Koma, Inna Modja, Quim Gutiérrez. Ação em cores/95’. Classificação etária 12 anos. Legendado.

Ladji tem 20 anos. Ele trabalha duro como aprendiz de motorista em Bamako. Quando ele recusa uma promoção que ele acha que merece, ele decide entrar em contato com Driss, um traficante de drogas, que lhe deve um favor. Com dois amigos, Ladji mergulha no mundo do tráfico de cocaína …

 

10 de setembro – segunda-feira – 20h

AYA

Aya de Yopougon (França 2011).

De Clément Oubrerie, Marguerite Abouet. Animação em cores/84’. Classificação etária 16. Legendado.

Aya e suas duas amigas, Adjoua e Bintou, vivem no bairro popular de Yopougon, em Abidjan, na Costa do Marfim. Todas possuem a idade da liberdade, 19, porém enquanto Adjoua e Bintou preferem aproveitar essa virtude saindo à noite e procurando um marido, Aya tem outra ambição: ser médica.

 

11 de setembro – terça-feira – 20h

UMA VIDA VIOLENTA

Une Vie Violente (França 2017).

De Thierry de Peretti. Com Cédric Appieto, Henri-Noël Tabary, Jean Michelangeli. Drama em cores/113’. Classificação etária 12.

Apesar da ameaça de morte pairar sobre sua cabeça, Stéphane decide voltar para a Córsega para assistir ao funeral de um amigo de infância que foi assassinado no dia anterior. Esta é uma oportunidade para ele se lembrar dos eventos que o viram passar de pequeno burguês delinquente da Bastia ao radicalismo político e à clandestinidade.

 

12 de setembro – quarta-feira – 20h

O SALÁRIO DO MEDO

Le Salaire de la peur (França, Itália 1953).

De Henri-Georges Clouzot. Com Charles Vanel, Yves Montand. Drama em preto e branco/148’. Classificação etária 16. Legendado.

Em uma decrépita aldeia sul-americana, homens são contratados para transportar um carregamento de nitroglicerina urgente sem o equipamento de segurança.

 

 


PROGRAMAÇÃO CINECLUBE Ó-LHÓ-LHÓ | IFSC – CAMPUS FLORIANÓPOLIS

(EXCLUSIVO PARA ALUNOS E PROFESSORES)

 

Swagger (2016)

3 de setembro – segunda-feira – 12h – Auditório do IFSC – Campus Florianópolis

SWAGGER

(França 2016).

De Olivier Babinet. Documentário em /84’.

Classificação etária 10 anos. Legendado.

Um documentário “teen-filme” que nos transporta para dentro das mentes surpreendentes de onze adolescentes que crescem em um dos bairros mais desfavorecidos da França. Apesar das suas dificuldades na vida, as crianças de Sevran e Aulnay têm sonhos e ambições. De Olivier Babinet. Com Aïssatou Dia, Mariyama Diallo e Abou Fofana.

 

Resultado de imagem para ASSIM QUE ABRO MEUS OLHOS6 de setembro – quinta-feira – 18h30 –Auditório do IFSC – Campus Florianópolis

ASSIM QUE ABRO MEUS OLHOS

A peine j’ouvre les yeux (Bélgica, França, Tunísia 2015).

De Leyla Bouzid. Com Aymen Omani, Baya Medhaffar, Ghalia Benali. Drama em /106’. Classificação etária 16. Legendado.

Verão de 2010 em Túnis, na Tunísia, alguns meses antes da Revolução de Jasmim. Enquanto o regime de Ben Ali cai, Farah (Baya Medhaffer), uma garota de 18 anos, se junta a uma banda de rock politizada e descobre o álcool, o amor e os protestos. Indo contra a vontade da mãe, Hayet (Ghalia Benali), que conhece os tabus do país, Farah mergulha cada vez mais nesse mundo, sem suspeitar do perigo de um regime político que a observa e se infiltra na sua privacidade. Para proteger a filha, Hayet fará o que for preciso, inclusive, reviver as feridas da sua própria juventude.

 

Resultado de imagem para le mepris godard cartaz

10 de setembro – segunda-feira – 12h – Auditório do IFSC – Campus Florianópolis

O DESPREZO

Le Mépris (França 1963).

De Jean-Luc Godard. Com Brigitte Bardot, Michel Piccoli. Drama em cores/100’. Classificação etária 16 anos. Legendado.

Paul Javal, roteirista, aceita dar nova versão à adaptação de “A Odisséia”, que Fritz Lang está rodando em Roma, sob a produção de Jérôme Prokosch. Apaixonado por Camille, sua mulher, Paul fica enciumado quando ela aceita uma carona de Prokosch. Durante uma longa cena doméstica, Camille fala de seu desprezo pelo marido. O rompimento acontece em Capri, onde são realizadas as cenas externas e mais importantes do filme. Camille vai embora com Prokosch e ambos morrem num acidente de carro.

 

Resultado de imagem para barbara film

11 de setembro – terça-feira – 12h –Auditório do

IFSC – Campus Florianópolis

BARBARA

Barbara (França 2017).

De Mathieu Amalric. Com Jeanne Balibar, Mathieu Amalric, Vincent Peirani. Drama em cores/97’. Classificação etária Livre .Legendado.

Uma atriz, Brigitte, irá interpretar num filme a icônica cantora Barbara. Brigitte trabalha a personagem de Barbara: a sua voz, as músicas e as canções, a imitação dos gestos, as falas. As coisas prosseguem. A personagem vai crescendo dentro dela. Começa mesmo a invadi-la. Yves, o realizador, também vai trabalhando – através de encontros, imagens de arquivo e a música. Parece inspirado por ela…Mas por quem? Pela atriz ou por Barbara?

 

14 de setembro – quinta-feira – 18h30 – Laboratório de Artes Visuais – sala D 014 do Cineclube Ó Lhó Lhó IFSC – Campus Florianópolis

AYA

Aya de Yopougon (França 2011).De Clément Oubrerie, Marguerite Abouet. Animação em cores/84’. 

Classificação etária 16. Legendado. 

Aya e suas duas amigas, Adjoua e Bintou, vivem no bairro popular de Yopougon, em Abidjan, na Costa do Marfim. Todas possuem a idade da liberdade, 19, porém enquanto Adjoua e Bintou preferem aproveitar essa virtude saindo à noite e procurando um marido, Aya tem outra ambição: ser médica.

 


 

MOSTRA AF DE CINEMA 2018

INFORMAÇÕES: cultura@affloripa.com.br